UNNA Excelência em Saúde

Saúde, sorriso e bem-estar!
A combinação perfeita para sua vida saudável!

Últimas Dicas

Fale Conosco

  • Rua 23 de Maio, nº 398 - Centro / Guararema - SP

  • (11) 2626-0606 / 99910-7781

  • contato@unnasaude.com.br

Setembro Amarelo

Setembro Amarelo

Desde 2015, o Brasil acolhe o movimento "Setembro Amarelo", que surgiu com o objetivo de dar visibilidade à temática do suicídio.

Como o suicídio é um ato evitável, a abertura ao diálogo e a compreensão das razões que levam alguém a tirar a própria vida podem reverter esse quadro. Além disso, o suicídio pode atingir pessoas de qualquer faixa etária., por isso é preciso ter atenção redobrada a qualquer mudança de comportamento.

O suicídio vem, essencialmente, de um estado depressivo, que pode ser causado por inúmeros gatilhos internos e externos. Tendo em vista que tirar a própria vida é uma decisão extrema para fugir do que é considerado um problema sem solução, a melhor forma de evitá-lo é detectar quando a possibilidade existe e agir a tempo.

É comum que as pessoas evitem falar sobre suicídio, como se abordar o assunto fosse deixá-lo em evidência na cabeça de quem já está depressivo. Porém, a conversa pode abrir novas perspectivas e até alertar a outra pessoa para tomar medidas para solucionar a situação. Por isso é tão importante que a sociedade como um todo esteja atenta aos menores sinais, disposta e preparada para discutir o tema e encaminhar a pessoa para um tratamento que trará um novo olhar sobre a vida e a vontade de prosseguir.

Confira alguns dos sinais que devem ser acompanhados e levados sério:
• tristeza persistente;
• postagens relacionadas a suicídio ou depressão profunda nas redes sociais;
• perda de interesse em atividades que antes davam prazer;
• fadiga;
• falta de energia;
• alteração no sono;
• irritabilidade;
• choro sem razão aparente;
• ideias de morte;
• dores e sentimentos de inutilidade.

Desde a mais tenra idade, o desenvolvimento de Habilidades Socioemocionais é importante para que todos saibam gerir as próprias emoções e lidar de maneira satisfatória com as adversidades da vida. Se você conhece alguém que apresenta algum dos comportamentos apontados acima, não hesite em orientar essa pessoa a procurar acompanhamento psiquiátrico e/ou psicológico.